Mais do que apenas uma mentalidade negativa, uma mentalidade de escassez cria desconforto, limita suas realizações e leva você a um ciclo vicioso de “fracasso”. Mas ei, como você liga esse interruptor e incorpora uma mentalidade rica? Vamos descobrir juntos neste artigo!

Há uma discussão muito popular sobre padrões de pensamento, como a diferença entre pensamento abundante e pensamento escasso. Aqui, não estamos falando de pessoas que economizam em pequenas coisas do dia a dia, como café. Isso não tem nada a ver com a mentalidade de escassez, ok? Para melhor explicar o conceito, gostaríamos de usar as definições desses dois substantivos de acordo com o dicionário.

Olhe para isso:

    • Escassez significa a qualidade ou natureza da escassez; falta ou falta de um bem ou serviço relacionado à sua demanda; pobreza ou privação; falta.
    • Abundância já é algo que cai ou jorra em grande quantidade; é abundância, abundância, abundância, abundância, torrente, quantidade exagerada, muito além do necessário; extravagância, opulência.
      Continuemos com a ideia de que a escassez é limitada e a abundância é algo muito além do necessário.

As coisas que são escassas em nossas vidas incluem coisas que não podemos substituir. O melhor exemplo é o tempo. Não pode ser substituído e atualizado. Portanto, precisamos entender como usar nosso tempo de forma inteligente e eficiente.

No Livro Em Escassez, Eldar Shafir e Sendhil Mullainathan explicam a partir de uma perspectiva comportamental que a escassez toma conta de nossas mentes quando somos privados de algo.

Eles comprovaram por meio de vários estudos que o endividamento pode fazer com que as pessoas percam o foco e dificultem a tomada de decisões importantes sobre suas carreiras.

Quando começamos a desenvolver uma mentalidade de escassez, temos dois caminhos: continuar a meditar sobre nossa necessidade — talvez dinheiro, afeto, sexo, status etc. — ou persegui-la para mudá-la.

Parece conversa de treinador, mas não vamos por esse caminho. Quando realmente desejamos algo, essa realidade começa a vir em primeiro lugar em nossas mentes. Quando conseguimos moldar essas ideias para que sejam mais reais do que abstratas, temos algo muito importante: a definição do objetivo. Ou, como diz nossa musa financeira, um objetivo.

Qual é o maior problema de vibrar na escassez?

Shafir e Mullainathan comentam no livro que as pessoas que só pensam no que sentem falta têm sérios problemas para pensar melhor e de forma mais inteligente. Olha que coisa doida: muitas vezes a gente sente falta de coisas que não condizem com a realidade! Em seu estudo, os autores encontraram algo muito interessante ao analisar o comportamento das pessoas após receberem um salário.

Assim que o dinheiro chega, eles são pessoas super interessantes, suas ideias estão cada vez melhores, eles estão mais interessados ​​nas coisas, e suas respostas são rápidas e inteligentes. Aos 20 anos, eles não podem se exercitar ou pensar. Além disso, eles não fazem boas escolhas e se tornam mais retraídos. Olha que loucura! A percepção de dinheiro dessa pessoa está prestes a se esgotar, então ela tem uma ideia diferente.

🔔 AVISO: Pedir aos pobres do Brasil que pensem mais não adianta. Eles se preocupam em viver até o final do mês e, no momento, não podem mudar essa mentalidade. Aqui ja estamos falando cerca de 17,5 milhões de famílias brasileiras vivendo em extrema pobreza com renda mensal per capita de até 105 reais.

Agora, se você tem um salário regular e não lhe faltam recursos básicos (como alimentação, transporte e moradia), você pode mudar sua mentalidade. Mesmo que você viva em uma realidade muito simples, é perfeitamente possível desenvolver sua mente ajustando seus hábitos todos os dias.

Como mudar a mentalidade de escassez para abundância?

Ter uma mentalidade de escassez não é necessariamente uma coisa ruim. Pode ser a motivação para mudar alguns hábitos e querer projetar novas realidades de vida.

Por exemplo, você pode pensar que está tendo dificuldades no trabalho. Qual é a ação óbvia? Mudar de emprego. Mas, para isso, não se trata apenas de se candidatar às vagas que vão surgindo: é preciso ter uma meta. Você precisa ser muito claro sobre qual função deseja alcançar, qual salário deseja receber e o que precisa fazer para atingir essas metas.

Ao mudar sua mentalidade e cumprir metas, você começa a se sentir satisfeito ou satisfeito com o que já tem ou conquista. É assim que nasce a mentalidade da abundância: agora, as coisas estão boas ou fluidas para você. Mas isso não significa que você não pode querer mais!

É por isso que separei cinco dicas para ajudá-lo a desenvolver melhor sua mentalidade e seguir um caminho mais saudável em sua mente. Olhe para isso:

Você sabe quais são seus valores? Por exemplo, entre segurança, liberdade, autoridade e status, qual chama mais sua atenção? Coloque no papel o que é realmente importante para você e use-o como um guia para sua vida.
Esqueça o passado, criatura! É inútil recordar o que aconteceu: o passado é o passado, apenas o presente. A única maneira de mudar a realidade é pensar e fazer as coisas de maneira diferente hoje. Aceite o caminho que o trouxe até aqui e assuma o comando do novo caminho.
Alinhe seus objetivos com seus valores. É muito mais fácil colocar seus objetivos no papel se você se alinhar com seus valores fundamentais.

Comece pequeno e defina prioridades. Quaisquer que sejam suas prioridades devem estar sempre dentro do seu orçamento! Mas não se esqueça de investir sempre 30% da sua renda – mesmo que precise ganhar um extra para isso, certo?
Construa e celebre pequenas vitórias! Conquistar algo não é fácil. A mudança é ainda menor. Mas você sabe que pode, não sabe? Então, comemore cada marco em sua jornada. Com certeza vai te dar um fôlego diferente.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.